Resenha: The Canyons – Paul Shrader

 

A empatia por alguém é algo que não controlamos. As vezes queremos porque queremos ser best friends de uma pessoa, gostar dela, mas não dá. Não há entrosamento, identificação. Não desgostamos da pessoa ou algo do gênero, simplesmente temos que perceber que não dá pra ser best, apenas friends.

Mas porque eu estou escrevendo isso? Ja ouviu falar de uma garota ex-Disney que atende pelo nome de Lohan, Lindsay Lohan? Então, é ela o motivo dessa intro, apesar de todos os problemas que ele causa e sofre ainda gosto dela, sinto uma empatia tão grande por ela; talvez seja pena, não sei. O fato é que fico triste por ela, queria tanto que ela fosse uma atriz centrada, uma cantora comprometida, que ela desse valor a carreira que ela construiu ao longo desses seus anos de Disney Channel. É como se ela fosse uma irmã ou amiga, alguém que a gente se importasse tanto, queria tanto ser amigo dela pra tentar botar uma luz na mente dela, enfim. Não sou nenhum louco-fã-louco, nem posso dizer que sou fã de algo, ela não é minha, é apenas identificação, simpatia, empatia.

Pronto com isso, vamos ao filme que tava louco para assistir desde que vi que ela iria participar. The Canyons conta a história de Christian (James Deen), um predador sexual que produz filmes com sua atual namorada, Tara (Lindsay Lohan), uma modelo que foi renomada e que agora lida com a decadência da sua carreira. Quando por indicação de Tara, Christian escala Ryan (Nolan Gerard Funk) para ser o protagonista de seu filme, a desconfiança e ciúmes de Christian por sua namorada começa a criar raízes que o deixa cada vez mais psicotico.

É uma premissa bem simples mas que com um bom trabalho poderia fazer surgir aí uma boa trama carregada de suspense e drama. Infelizmente o que ocorre é um filme pautado em como discutir relaçoes nos mais variados lugares e horas. É um filme que não anda, Tara E Christian discutem, Ryan e sua namorada Gina (Amanda Brooks) também, Tara discute com Ryan, e… entendeu? Toda cena é uma DR sem fim, não tem movimento, não há uma linha que puxe a trama para frente, é sempre empacada no mesmo ponto.

As atuações –  se podemos chamar assim – são hora regulares, ora péssimas. Vindo de James Deen é aceitavel pelo fato de que ele só atuava em cenas que não precisa de muita fala… é/era ator pornô. Com sua inexperiencia vemos várias caras e bocas, varios biquinhos, que combinam com determinada parte do filme, mas não nele todo. Lindsay Lohan tem uma boa atução, nada demais, ligou o automático e foi, mas parece que é a única que tentou fazer algo mais caprichado. Nolan que deveria ser importante a trama, com sua caricata e deplorável atuação nos faz rir de tamanha falta de simpatia. E Amanda não é a pior. Tem até uma outra Cynthia que serve pra mostrar os seios.

Seria esse filme um suspense erótico, ou algo assim, mas as cenas em que há nudez são todas tontas e sem nenhum interesse à trama. Pra falar a verdade eu não entendi o que o Christian era, ele goswtava de gravar cenas de seus atos sexuas com Tara, gostava de que sua namorada saísse com outros homens e mulheres, e gostava de menage à trois, à quatrois… É tudo tão superficial e mal escrito que você ao terminar o filme não sabe o que assistiu, não entende a história e qual o rumo que deveria ter rumado.

Penso eu que se uma personagem é louca ela deveria ser desde o começo do filme mostrada como tal, se fazia tratamento que mostrasse sua consulta ao psiquiatra, e não no final do filme, quando você quer mudar o foco do filme, fazer ele do nada se tornar um psicótico, louco. E não venha me dizer que é a falta de dinheiro (esse filme foi financiado atravéz de crowfunding) porque há ótimos filmes que não possuem dinheiro mas tem uma boa trama. A história é boa mas faltou por parte do roteirista o mínimo de conhecimento sobre como fazer um roteiro que preste e que contenha alguma trama decente.

Mas por incrivel que pareça não é um filme chato, é parado e monótomo, mas não chega a ser entediante. Apesar de não ter adorado o filme, sei lá gostei um pouquinho, assisiria de novo depois de uns meses. Mas cada pessoa tem uma maneira diferente de lidar com um filme, talvez você ame. Assista e veja por si mesmo o que o filme é.

Lohan não encontra aqui a sua possivel volta aos grandes filmes mas pelo menos ja mostra que talento tem só falta boa vontade. E para Deen, quem sabe um começo de carreira na grande Hollywood.

Anúncios