Ônibus Londrino com Resenha!

Eu sei como esse momento é esperado por todos nós, o quanto ansiamos que ele chegue, o quão desesperados ficamos, o quanto… Tá bom, chega! Todos nós enlouquecemos quando ela – as férias – chega. Ela que é tão nossa amiga, amiga que vemos apenas duas vezes ao ano mas que simplesmente não conseguimos não nos emocionar ao vê-la.

E nas férias é tempo de que? Tempo de descansar, passear, ou apenas ficar em casa sem fazer absolutamente nada. Ou tempo de: passar o dia inteiro na tv ou no pc assistindo mais e mais filmes e séries ou quem sabe lendo vários livros até os olhos ficarem secos! Não importa o que você faça nas férias desde que aproveite e se divirta até ficar cansado.

O meu presente para as férias de vocês é: resenha, resenha, resenha e muitas resenhas. A partir de hoje o blog receberá atualizações resenhisticas todo dia. Então nem venha dizer que não pode entrar para dar uma espiada aqui. Deixo claro que serão resenhas de filmes e não de livros, até porque livros são geralmente mais demorados do que um filme. Mas não se preocupe irei resenhar alguns livros nas férias!

Os filmes não serão os de Sessão da Tarde! Yeah! Serão lançamentos tanto no cinema como em dvd. Desse ano, do ano passado ou retrasado. Os grandes blockbusters, os mais elogiados, os odiados; de ação, comédia, suspense, terror, drama, aventura, ufa! Todos estarão aqui a partir de agora.

Espero que se divirtam!

Boas Férias!

Anúncios

Resenha – O Labirinto Do Fauno

Por que alguns filmes nos deixam tão impressionados, a ponto de a) ficarmos tristes e odiarmos o final escolhido pelo escritor e b) nos apaixonarmos imensamente pelo mesmo. É isso que acontece com O Labirinto do Fauno, um filme que narra de forma fantástica coisas belas (ou não), em meio a opressão e tristeza. Continuar lendo

Resenha – Cartas para Julieta

Cartas para Julieta

Uma história simples que cumpre o seu papel: divertir.

 

Não espere assistir Cartas para Julieta e encontrar profundidade; não espere ver um Romeu e Julieta, um Shakespeare novo. A trama é simplória e logo nos primeiros minutos do filme você já tem uma boa ideia do acontece. Mas isso não desmerece o filme, nem um pouco.

 

Sophie (Amanda Seyfried) e Victor (Gael Garcia Bernal) viajam à Verona palco da história Romeu e Julieta para uma pré lua-de-mel. Só que Victor está mais interessado em fazer contatos para seu futuro restaurante em Nova York, enquanto Sophie se distrai com um grupo de voluntárias que responde cartas endereçadas a Romeu e Julieta, procurando conselhos amorosos. Enquanto ajuda as voluntárias, ela encontra uma carta escrita em 1957 de uma senhora chamada Claire (Vanessa Redgrave). Sophie responde à carta. Claire acompanhada de seu neto Charlie (Chris Egan) vão à Itália e tentam encontrar Lorenzo, o verdadeiro amor de Claire.

 

Partindo dessa premissa o filme se desenrola da maneira mais fluida possivel. Apesar do fraco roteiro construído pelos roteiristas (José Rivera e Tim Sullivan) a história nunca chega a enjoar. Os belos cenarios da Italia criam um ar de romance juvenil e inocente; o diretor Gary Winick capricha nos detalhes capturados, as belas imagens se enroscam aos olhos criando uma linda visão. A Italia realmente é um paraiso, ainda mais, quando é lançado a mão trilhas sonoras aconchegantes e bonitas.

 

Os atores e atrizes estão de parabéns, pelo a mim, não incomodou em nenhum momento. Ponto para Vanessa que com uma simples atuação conseguiu transparecer o que precisa à personagem. Amanda não decepcionou no seu papel; Chris não encheu a tela de atuação, mas não desmereceu o filme. Gael fez apenas algumas apariçoes rapidas e Franco Nero ( o Lorenzo Bartolini – o amor de Claire) não teve tempo de nada.

 

As belas paisagens, a ótima escolha de atrizes e atores, a trilha sonora – que não impressiona, mas não decepciona – e o forte apelo ao romance, faz de Cartas para Julieta um filme bobinho, mas que não decepciona enquanto filme.